21 de fevereiro de 2019

"Sol"


Sol

Do nascimento ao poente,
sempre irradiando alegria,
a grande estrela atraente,
inesgotável, fonte de energia.

Fornecendo luz e temperatura,
que a belos dias, convida,
em luminosidade in natura,
requisitos necessários à vida.

Contagiando os ambientes,
nos seus efeitos de propagação,
sendo nutrição dos seres viventes,
da Divina criação.

Faço contos, crônicas, romances e ensaios,
mas poeticamente, lhe faço homenagens,
eu me embriago dos teus raios,
admirando as suas imagens.

Sou amante fiel da natureza,
fisgado, tal qual peixe em anzol,
contemplo toda sua beleza,
buscando um “lugar ao Sol”.


17/02/2019

Antônio de Pádua Elias de Sousa
Formiga-MG




19 de fevereiro de 2019

"Escrita e rima"


Escrita e rima


Muitos acham que eu não sou trabalhador,
sendo uma opinião, que não me afeta,
labuto como escritor
e dentre alguns, sou poeta.

Exerço, por vez, a escrita,
buscando também a rima,
minha atividade favorita,
a palavra, matéria-prima.

Procuro ser eficiente
e de tudo, um pouco, falar,
preciso ser inteligente,
para o leitor, assim gostar.

Da cultura, patrocínio com uma parte,
não almejo celebridade,
apenas divulgo a minha arte,
deixando-a para posteridade.

Musculação acadêmica da mente,
é isto que me anima,
energizando o cérebro, constantemente,
lapidando a escrita e a rima.


18/02/2019


Antônio de Pádua Elias de Sousa
Formiga-MG


1 de fevereiro de 2019

"Medo da morte?"


Medo da morte?


Ei você!
Sim, você mesmo.
Está com medo da morte?
Da sua própria, ou de quem amas?

Esquece!
Ela é a única certeza.
Também sendo inevitável...

Raramente envia seus sinais,
sendo em sua maioria, de repente.
Às vezes vem mansa,
noutras brutal e cruelmente.

Nunca vindo de véspera.
Mas, jamais retarda.
Tendo, portanto, sua hora marcada.
E acredite:
Ninguém tomará o lugar do outro!

“Então viva, como não se fosse morrer,
para não morrer, sem ter vivido" e,
se possível, deixes um legado,
para que, de vez em quando, sejas lembrado.

Sejas nobre.
Construas e conserve.
Aprendas, ensine e eduque.
Crie e cuide.
Abrace e beije.
Distribuas carinho e alegria.
Espalhe a esperança.
Converse, não grite.
Compreendas e não reclame.
Sorria, mas também chore.
Festejas e silencie.
Ajude e solicite-a.
Cante e dance.
Coma e beba.
Faça o que goste.
Trabalhe e descanse.
Realizes os sonhos.
Busque e acredite.
Valorize as conquistas.
Não deixes para amanhã, o hoje.
Ame, não odeie.
Perdoe e também o peça.
Entendas o sentimento da gratidão.
Reze e ore.
Tenhas fé...

E lembre-se:
Há muito tempo,
alguém a venceu por você
e lhe aguarda.

Assim:
Não tenhas medo da morte!

01/02/2018

Antônio de Pádua Elias de Sousa.
Formiga-MG