26 de julho de 2017

"Desconexo"

“Desconexo”

7,3,A,6,V,5,4,M,C,2
O que vem depois?
Deixe-me! Fiquei tonto.
Já fui. Está pronto.

Banana não tem caroço.
E pra que asas? Se não voa!
Não tenho a corda no pescoço.
Tranquilamente fico à toa!

Cadê a coerência,
ou o elo de ligação?
Perdida a paciência,
já não há mais lição!

Busquei o meu violão?
Eu não sei tocar nada!
De chapéu e flor na mão,
pra procurar o fim da estrada.

Acho que quero ir embora!
Eu prefiro ir sozinho.
Mas já estou aqui fora!
Seguindo em qualquer caminho.

Cara! O homem já foi à lua.
E Daí? Nem assim conseguiram ver Deus!
Minha metade não é sua,

apenas abençoe os filhos meus!

Da noite pro dia,
é tempo de emburrecer...
e saltitante de alegria,
simplesmente endoidecer!

O amor subiu no telhado
e não há pra música a melodia.
O governo todo atrapalhado,
impondo ao povo a covardia.

O mundo é muito complexo,
sendo esse o reflexo,
também fico perplexo,
de uma vida sem nexo.

26/07/2017
Antônio de Pádua Elias de Sousa

Formiga-MG

27 de junho de 2017

"Tudo é poesia"?

Tudo é poesia?

Estava na primeira página de jornal:
“Tudo é poesia.”
Assim mesmo, com ponto final.
Uma afirmação, que qualquer poeta, jamais aceitaria.

Não sendo, portanto, este muito hábil,
até porque trata-se de informação,
assim teria que ser mais sábio,
para formar opinião.

Então resolvi rebater,
pois é uma afronta à literatura.
Como pode alguém nisso crer?
É desrespeito à cultura!

Poesia é a arte dos sentimentos,
no qual se encontra o autor,
nas alegrias e nos sofrimentos,
podendo expressar da frustação ao amor.

Contudo, poesia não se faz,
quando a dignidade humana é atingida,
onde o terrorismo fere a paz
ou quando se tira uma vida.

Também não, num acidente,
ou ainda pela corrupção,
de um estuprador demente,
ou de quem vai pra prisão.

Onde impera o preconceito,
seja de qual tipo for,
ainda na falta de respeito
e no ódio se sobrepondo ao amor.

Portanto, há várias situações,
das quais, não podemos dissertar,
pois pra estas, não existem razões,
sendo prudente ignorar. 

Logo, tomemos cuidado ao escrever,
porque em tudo necessita harmonia,
para que o leitor entenda, o que se quer dizer,
pois haverá momento, que nem tudo é poesia.


23/06/2017

Antônio de Pádua Elias de Sousa

Formiga-MG

31 de março de 2017

"Pau-Brasil"

Pau-Brasil

Cientificamente, Paubrasilia enchinata,
bela madeira de lei,
na Mata Atlântica a origem nata,
que outrora, da floresta, era rei.

Sua flor amarela e vermelha
com fruto em vagem entre espinhos.
Este ao Ipê se assemelha,
que no comércio estrangeiro, abriram caminhos.

Estiveram próximo da extinção,
num desmatamento desenfreado.
Vindo de um imperador a conscientização,
qual reprimiu a demanda do mercado.

Nossa árvore símbolo, hoje em dia,
ela, ao país, o nome emprestou.
Aos preservacionistas, é motivo de alegria.
 e ao mundo, suas belezas, divulgou.

És madeira de enorme robustez,
não sendo por pragas, atacada,
por isso a nossa lucidez,
em fazê-la representar a pátria amada.


31/03/2017

Antônio de Pádua Elias de Sousa
Formiga-MG