26 de fevereiro de 2010

"Tirando a venda"

“TIRANDO A VENDA”


Uma das filhas de Zeus e Têmis.
Para os Gregos Diké,
De olhos abertos, assim é.
Aos Romanos Iustitia,
De venda, a meu ver, não devia.

Vendada no séc. XVI por artistas alemães.
Que acredito não entender as questões.
Imparcialidade e igualdade aos homens sim.
Mas uma visão ampla aos atos e ações.
Atentando para os meios e os fins.

Não há em litígio, diferença entre as partes.
Sejam ricos, pobres, humildes ou poderosos.
Que me desculpe as artes!
Mas temos que enxergar para veredictos honrosos.

Tirando a venda eu entendo,
Para servir a todos em comum.
E estarem, os Magistrados, sempre vendo.
Tendo as sentenças erro algum.

Muitas vezes o justo difere do legal,
Então passamos à justiça a palavra final.
Num ato de confiança e entrega,
Logo ela não pode ser cega.

Numa corrente moderna e futurista,
Na certeza de que a OAB acate e entenda.
Que me desculpe o artista!
Mas proponho que tirem a venda.

19/07/09

Nenhum comentário:

Postar um comentário